domingo, 22 de maio de 2011

Homossexualidade, Religião e Atualidade


Disciplina: Cultura Religiosa I.
Por: Agheila Fernandes, Gisele Saraiva, Isabella Perdigão, Sara Alves.

As atitudes, as crenças, teologias e éticas a respeito da sexualidade humana, em geral, e a heterossexualidade e a homossexualidade, especificamente, influenciam profundamente a ação pastoral, o aconselhamento pastoral e a vida cotidiana de todas as comunidades religiosas no meio urbano em que vive.

A Igreja Católica defende a respeito da homossexualidade com base em análise dos documentos oficiais da Igreja. Homossexualidade e religião têm como ponto de partida a perspectiva Protestante. Discute-se a suposição de que a maior tolerância em relação ao sexo antes do casamento, sexo adolescente, sexo extraconjugal e entre pessoas do mesmo sexo seriam indicadores de dimensão única, que poderia explicar um conjunto de atitudes sexuais, como maior ou menor permissividade de indivíduos ou nações. No entanto, a análise de diferenças entre países industrializados revela que nações mais permissivas em relação ao sexo pré-marital não são permissivas em relação ao sexo extraconjugal. Vários estudos têm indicado que a religião, a família e, de maneira geral, os grupos aos quais as pessoas pertencem, afetam fortemente suas atitudes e sustentam um conjunto de diferentes normas em relação à sexualidade.

Afinal, a dificuldade de estabelecer uma dimensão única que explique a regulação da vida sexual ("liberal" vs "conservador"). Sugere-se que a normatividade relativa à atividade sexual deva ser compreendidas à luz da cultura e organização social da sexualidade ao nível local, auscultadas pelos programas de DST/Aids.

Então, pode-se dizer que a religião exprime valores acerca da sexualidade em paralelo com a saúde pública e urbana, tendo em vista que sexualidade não se diz respeito apenas ao ato sexual propriamente dito, mas também uma energia que encontra sua experiência física, psicológica e social no desejo de contato, ternura e, às vezes, amor (OMS). Ou seja, ela é expressa não somente no âmbito sexual, mas em toda relação interpessoal.


Referências: Opiniões e atitudes em relação à sexualidade: pesquisa no âmbito nacional, Brasil 2005. Rev. Saúde Pública vol.42 suppl.1 São Paulo June 2008

Links de interesse: Série Sagrado - Rede Globo. Candomblé.

Série Sagrado - Rede Globo. Judaismo.

Série Sagrado - Rede Globo. Islamismo.

Série Sagrado - Rede Globo. Budismo.

Série Sagrado - Rede Globo. Protestantismo.

Série Sagrado - Rede Globo. Catolicismo.


terça-feira, 17 de maio de 2011

Coletores x dengue


Disciplina: Epidemio
Por: Alexandre Guedes,Eriane DamasiaDanielle Cassia,Karine Carlos,Livia Àlvares, Guilherme, Marina Carvalho
Os coletores de lixo ou Gari, ou ainda vulgarmente conhecidos como “lixeiros”, são os profissionais responsáveis pelo recolhimento de lixo acumulado em logradouros públicos e outros locais. Os coletores apontaram dez grandes distúrbios aos quais estão sujeitos: problemas de pele, leptospirose, tétano, Aids, problemas respiratórios ou pulmonares, problemas nos músculos esqueléticos doenças que estão no nosso dia a dia.Baixo nível de saneamento básico, lixo, intenso adensamento demográfico, abastecimento irregular de água, histórico de epidemias e infestação predial alta. Todos estes fatores formam o cenário favorável para que tanto o Estado como a Capital vivam a sua quinta epidemia de dengue. A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que a urbanização acelerada e o déficit da limpeza urbana foram dois pontos fundamentais, nos últimos 30 anos, para o favorecimento da doença no Brasil.Por exemplo, a questão do lixo ainda é um desafio no combate à doença. Para se ter uma ideia da situação, a maior parte dos casos estão onde esses serviços são deficientes, ou seja, nos bairros da zona oeste, nas Secretárias Executivas Regionais (SERs) I, III e V. Em muitos o abastecimento de água é irregular, o que leva as pessoas a acumularem água em potes, sem falar nos vários pontos de lixo encontrados
A média mensal da coleta urbana, ou seja, o lixo jogado de forma irregular nas ruas e vielas, assim como entulho e varrição dessa três Regionais é de 20.758,75 quilos de resíduos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é justamente nessas Regionais onde se encontra a maior quantidade de sucatas, terrenos baldios e borracharias, locais estes, muitas vezes interditados pela quantidade focos do mosquito. Somados os casos de pessoas infectadas nessas Regionais, dá um total de 2.114. Do último dia 15 para o dia 29 de abril observou-se justamente nas SERs I, III e V um aumento de 54,64% nas pessoas atingidas pela doença, ou seja, se antes eram 1.367, hoje esse quantitativo é de 2.114. Enquanto que nas SERs II, IV e VI, que possuem uma população superior, essa variação foi de 26,9%.
Sabe-se hoje que o Aedes aegypti não deposita seus ovos somente em água limpa. O gerente da Célula de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Antônio Lima, diz que quando fala-se em lixo, não podemos nos referir apenas ao encontrado nas ruas, "os focos do mosquito, em sua maioria, estão nas residências, e dentro destas os cidadãos também acumulam lixo, o chamado intradomiciliar".
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-reciclagem/dia-do-gari-2.php
www.saude.gov.br

Exercício para crianças com síndrome de down





Disciplina:Genetica
Alexandre Guedes,Eriane Damasia,Danielle Cassia,Karine Carlos,Livia Àlvares, Guilherme, Marina Carvalho



A síndrome de Down é uma patologia causada pela trissomia do cromossomo 21, trazendo ao seu portador muita dificuldade no desenvolvimento tanto mental com físico e motor alem de cardiopatias congênitas e problemas estruturais

A hipotonia é o principal fator que dificulta o desenvolvimento psicomotor dessa população e apesar da síndrome ter sido diagnosticada há mais de cem anos, por falta de estudo, pouco sabe-se sobre a origem desse fator tornando difícil a avaliação e o tratamento
Uma forma de tratar a hipotonia prevenindo lesões, dando maior segurança e qualidade de vida ao individuo portador da síndrome de down, é através da musculação com exercícios localizados e aeróbicos pois se trata de uma atividade que visa a hipertrofia e aumento da resistência muscular
Mas ainda é necessário realizar pesquisas com treinamentos diferentes para colaborar com o desenvolvimento e a qualidade de vida dessa população

Fonte: http://www.efdeportes.com/efd104/sindrome-de-down.htm

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Lombalgia


Disciplina: Cinesiologia
Postador por: Glauciane Rezende
Nos dias de hoje a dor nas costas, chamada tecnicamente de lombalgia, é uma das queixas mais comuns da população, e uma das mais ouvidas em consultórios: a Organização Mundial de saúde (OMS) estima que aproximadamente 80% dos adultos sofrerão pelo menos uma crise aguda de dor nas costas (lombalgia aguda) durante sua vida, e que 90% dessas pessoas apresentarão mais de um episódio. As crises de dor nas costas são a causa mais comum de faltas ao trabalho nos países desenvolvidos, provocando, além do problema médico, também um problema econômico.
Diversos fatores têm contribuído para o desencadeamento e a cronificação das síndromes dolorosas lombares, particularmente os fatores psicossociais, a insatisfação com o trabalho, o sedentarismo, a obesidade, o hábito de fumar, a realização de trabalhos pesados, entre outros.
A lombalgia pode ainda evoluir causando uma compressão dos nervos e posteriormente ser associada á síndrome miofacial ou fibromialgia. Portanto, lembre-se que: a atividade física sempre é benéfica, mas é importante ter cuidado com as lesões decorrentes do exercício; sempre focalize parte de seu exercício nos grupos musculares que suportam a coluna, evitando colocá-la sob stress excessivo; por fim, conseguir um bom condicionamento aeróbico é necessário, mas sempre levando em conta, suas condições.

Lins para os artigos:
http://www.scielo.br/pdf/ramb/v56n5/v56n5a22.pdf
http://www.scielo.br/pdf/rbort/v43n3/a07v43n3.pdf
http://www.scielo.br/pdf/rbme/v7n4/v7n4a04.pdf

domingo, 15 de maio de 2011

-Transtorno Afetivo Bipolar-


Disciplina: Bioquímica.

Por: Agheila Fernandes, Gisele Saraiva, Isabella Perdigão e Sara Alves.

Atualmente a sociedade nos impõe a padrões, que muitas vezes ocasionam complicações como estresse e depressão. Essa depressão pode se manifestar de maneiras diferentes como, por exemplo, o transtorno Afetivo Bipolar (TAB) que é uma oscilação brusca de humor associada a manias, é uma maior frequência de hiperintensidade de substancia branca subcortical.

As lesões ocorridas na substância branca podem significar interrupções nos circuitos envolvidos com a regulação do humor, ocasionando alteração do metabolismo da glicose e diminuição do fluxo sanguíneo regional e dos fosfatos energéticos celulares nas regiões corticais e subcorticais, ocorre à diminuição da densidade de células da glia no córtex pré-frontal, há também a diminuição das células com núcleos de tamanho médio nas camadas III e IV da glia, com o aumento das células com núcleo de tamanho muito grande, quem possui caso de histórico familiar, apresenta também algum déficit da densidade glial em múltiplos sítios do córtex pré-frontal, o que afeta suas conexões com outras regiões cerebrais. Ocorre ainda, a diminuição da inibição GABA energética (neurônios não piramidais) na fisiopatogenia da TAB, ocorre também um aumento bilateral no número de neurônios pigmentados no locus (esses neurônios são principais fontes de noradrenalina no Sistema Nervoso Central - SNC). As células da glia regulam a homeostase energética do SNC através da captação e fosforilação da glicose durante a atividade neuronal, elas participam também do desenvolvimento, da manutenção, e rico modelamento das conexões sinápticas através dela liberação de fatores tróficos e da regulação da concentração em glutamato na sinapse, podemos verificar também que ocorre a diminuição da expressão do RNAm de proteínas sinápticas e das espinhas dendríticas apicais das células piramidais. Podemos analisar tudo isso através do sistema de sinalização intracelular, através da proteína G (que é o mecanismo que envolve a transmissão da informação desde a sinapse até o nucleio da célula é mediado por um processo intermediário, chamados de sistema de segundos mensageiros, como as vias da adenosina monofosfato cíclica e do fosfatidilinositol.), Via da adenosina monofosfato cíclica (é uma das proteínas afetoras reguladas pelas proteínas G é a adenilato ciclase, essa enzima catalisa a formação de AMPc, um importante segundo mensageito), Via de fosfatifilinositol (através da ativação G, ativação da proteína G estimula a proteína efetora fosfolipase C PLC), via Wnt (wingless) / Glicogen synthase kinase 3 (as proteínas Wnt ligam-se aso receptores frizzled de membrana ligados à proteína G, ativando a proteína quinase disheveledm esta que inibi a atividade da glicogen synthase kinase 3), Cálcio intracelular (a variação dos níveis de cálcio intracelular modula a plasticidade sináptica, a sobrevivência e a morte celular), regulação da expressão gênica e neuroplasticidade (a atividade das vias de segundos mensageiros tem como um importante alvo final a modulação de uma família de proteínas que agem como fatores de transcrição gênica ).

Portanto, pode-se considerar que o TAB é causado por uma intensa modificação de substancias em nível de sistema nervoso central, causando uma modificação e tornando irregular toda a dinâmica depressora e excitatória do nosso organismo. Essa patologia pode trazer conseqüências bio-psico-sociais afastando o indivíduo de um convívio harmonioso em seu meio rotineiro.

Referências: http://pesquisa.bvsalud.org/regional/resources/lil-387868.

Anormalidades neuropatológicas e neuroquímicas no transtorno afetivo bipolar/ Neuropatological and neurochemical abnormalities in bipolar disorder

Autor(es): Frey, Benício Noronha; Fonseca, Manoela M Rodrigues da; Machado-Vieira, Rodrigo; Soares, Jair C; Kapczinski, Flávio

Fonte: Rev Bras Psiquiatr

Saúde urbana: uma relação com os acidentes de motociclistas


Disciplina: Neuroanatomia
Postado por: Glauciane Rezende

A população esta cada vez mais concentrada em zonas urbanas, pois segundo Proietti e Caiaffa(2005), a taxa de urbanização vem crescendo nas útimas décadas. Um exemplo é que 75,6% da população morava em áreas urbanas no ano de 1991, em contrapartida, no ano de 2000 essa taxa aumentou para 81,6%. Esse fato se relaciona diretamente com a qualidade de vida das pessoas, sobretudo com a sáude urbana na qual é influenciada por muitos fatores, como por exemplo, o indice de violência e de acidentes ocorridos.

Para ilustrar, Santos et al. (2008) realizaram estudo na cidade de Terezina (Piauí) a respeito das consequências dos acidentes de trânsito, mas destacaram os que envolveram´motociclistas, uma vez que o número de motos utilizadas como transporte e/ou trabalho também está aumentado. então, nessa discussão os autores enfatizaram a relação: presença do equipamento de segurança (capacete) e às complicações ocorridas pelo traumatismo craniano. Desse modo, entre os que não utilizavam o equipamento obteve-se maior número de óbitos e de lesões encefálicas (traumatismo cranioencefálico) nas quais causaram sequelas temporarias ou permanentes, mas não houve diferença significativa na relação de procedimentos cirúrgicos entre os que não usavam ou que usavam o capacete. Destacam ainda, que o número de vítimas com traumatismo cranioencefálico que faleceram foi de 85,71%.

Deste modo, a prevenção de acidentes é um meio relevante para auxiliar a promoção de saúde urbana, pois é uma das maiores causas de morbidade e mortalidade nos centros urbanos. Aém de que as sequelas deixadas (principalmente as neurológicas) - em muitos casos - afetam não só a rotina da vítima, mas de todas as pessoas de convivência proxima e, portanto, influencia na saúde das mesmas, uma vez que o estado psicológico é um dos determinantes de saúde.


Link para os artigos:
http://www.scielosp.org/pdf/csp/v24n8/21.pdf
http://www.scielosp.org/pdf/csp/v21n3/29.pdf

sexta-feira, 13 de maio de 2011

CONSEQUÊNCIAS DO TABAGISMO NO DISCO INTERVERTEBRAL

Disciplina: Cinesiologia

Por: Amanda Nayara, Bárbara Bahia, João Pedro, Mariana Aguiar, Tassiane Monteiro, Wendell Maximiano



A Medicina tem motivo suficiente para eleger o cigarro como inimigo número um da Saúde. Antes de se tornar fatal, os fumantes podem sofrer uma série de problemas. Embora pouco explorado, há uma associação entre tabagismo e hérnia de disco.

O tabagismo não afeta somente a expectativa de vida, mas também a qualidade, especialmente nos anos posteriores ao inicio do vicio. O ato de fumar introduz e libera substancias tóxicas que causam danos ao revestimento interior dos vasos sanguíneos, contribuindo também para o aumento de dores associadas ao disco intervertebral, afetando o bom funcionamento da coluna vertebral. Segundo os médicos, a dor nas costas costuma tornar-se crônica mais freqüentemente entre os fumantes. A teoria é a de que os discos situados entre as vértebras e que funcionam como amortecedores para os impactos são irrigados por vasos capilares, que por sua vez, são afetados pelo tabaco, que interfere na circulação do sangue nessa região.

Portanto, é importante saber que as pessoas que fumam têm muito mais dores nas costas, pois, tem perda de irrigação tendo a degeneração mais rápida do disco intervertebral. Essa situação pode ser controlada através do abandono do fumo e também de hábitos de vida mais saudáveis como boa alimentação, prática regular de exercícios físicos, entre outros.

Refêrencias:

MICHELON, S.M.S. , ROTHERNBUHLER, R. “Tabagismo e seus efeitos no sistema osteo muscular”. Disponível em:

Nívea Dulce Tedeschi Conforti Froes; Francine Teresa Brioni Nunes; Wilson Fábio Negrelli. “Influência genética na degeneração do disco intervertebral”. Disponível em:

http://www.ncpainmanagement.com/Smoking&Pain.htm

RELIGIÃO E TABAGISMO

Disciplina: Cultura Religiosa

Por: Amanda Nayara, Bárbara Bahia, João Pedro, Mariana Aguiar, Tassiane Monteiro, Wendell Maximiano


Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que 90% dos fumantes tiveram o primeiro contato com o tabaco na idade escolar, entre 5 e 19 anos e acompanha o indivíduo por toda a vida; estima-se que cinco a seis milhões de pessoas morrem por ano devido ao fumo, diminuindo sua expectativa de vida em aproximadamente dez anos. A religião como um importante fator que contribui pra a formação moral e social do indivíduo correlaciona-se com esses números, uma vez que estudos demonstram que a “educação religiosa na infância” está associada a menor exposição ao uso de drogas em geral, incluindo o tabaco, na adolescência.

A prática religiosa, em sua maioria, preza o respeito ao corpo e a vida, por isso, não considera o tabagismo como um fator positivo, pois no tabaco é encontrado a nicotina principal substância que leva ao vicio, que não é bem visto por algumas religiões, além de outras substâncias que compõem o cigarro serem absurdamente prejudiciais a saúde.

Em um estudo, comparou-se a religiosidade e a exposição ao tabagismo, enfocando fatores intrínsecos – religiosidade pessoal, fé, acreditar em Deus e ser praticante de alguma religião, e fatores extrínsecos – educação religiosa na infância, afiliação religiosa e religiosidade dos pais. De maneira geral, notou-se que os dois fatores protegem o adolescente dessa exposição, porém os fatores intrínsecos tem maior força de associação. O estudo também observou que entre os evangélicos a prática do tabagismo é menos evidenciada, em contraposição, os adeptos ao espiritismo são os que mais fazem uso do mesmo e os católicos situam-se em posição intermediária. Comprovando que a convivência na área religiosa é inversamente proporcional ao uso do tabaco.

Outra associação que pode ser feita é o tabagismo e a consciência ambiental, a exemplo disso, temos a Campanha da Fraternidade de 2011: “Fraternidade e Vida no Planeta”, que objetiva conscientizar a população a preservar o meio em que vivem. O tabagismo afeta negativamente o meio ambiente, a fumaça do cigarro atinge várias pessoas que não fumam, as tornando fumantes passivas, muitas florestas são devastadas para a produção do cigarro, além dos fumantes serem responsáveis por 20% dos incêndios no mundo, provocados por pontas de cigarros desprezadas de maneira inadvertida.

Portanto, a prática religiosa é essencial para a formação dos indivíduos, tornando-os menos aptos ao tabagismo, além de alertar para a prevenção do meio ambiente, que é fundamental para a qualidade de vida de todos.


Referências:

BEZERRA, Jorge et al. “Religiosidade, consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo em adolescentes”. Rev Panam Salud Publica [online]. 2009, vol.26, n.5, pp. 440-446. ISSN 1020-4989.

Cardoso D.B, Coelho A.P.C.P, Rodrigues M, Petroianu A. “Fatores relacionados ao tabagismo e ao seu abandono”. Rev Med (São Paulo). 2010 abr.-jun.;89(2):76-82.

http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/12309

Os coletores de lixo x Gari








Disciplina : Epidemio
Por:
Alexandre Guedes, Bruno Gonçavel, Danielle Cássia, Guilherme, Karine Carlos, Marina Carvalho
Os coletores de lixo ou Gari, ou ainda vulgarmente conhecidos como “lixeiros”, são os profissionais responsáveis pelo recolhimento de lixo acumulado em logradouros públicos e outros locais. Os coletores apontaram dez grandes distúrbios aos quais estão sujeitos: problemas de pele, leptospirose, tétano, Aids, problemas respiratórios ou pulmonares, problemas nos músculos esqueléticos doenças que estão no nosso dia a dia.Baixo nível de saneamento básico, lixo, intenso adensamento demográfico, abastecimento irregular de água, histórico de epidemias e infestação predial alta. Todos estes fatores formam o cenário favorável para que tanto o Estado como a Capital vivam a sua quinta epidemia de dengue. A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que a urbanização acelerada e o déficit da limpeza urbana foram dois pontos fundamentais, nos últimos 30 anos, para o favorecimento da doença no Brasil.Por exemplo, a questão do lixo ainda é um desafio no combate à doença. Para se ter uma ideia da situação, a maior parte dos casos estão onde esses serviços são deficientes, ou seja, nos bairros da zona oeste, nas Secretárias Executivas Regionais (SERs) I, III e V. Em muitos o abastecimento de água é irregular, o que leva as pessoas a acumularem água em potes, sem falar nos vários pontos de lixo encontrados
A média mensal da coleta urbana, ou seja, o lixo jogado de forma irregular nas ruas e vielas, assim como entulho e varrição dessa três Regionais é de 20.758,75 quilos de resíduos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é justamente nessas Regionais onde se encontra a maior quantidade de sucatas, terrenos baldios e borracharias, locais estes, muitas vezes interditados pela quantidade focos do mosquito. Somados os casos de pessoas infectadas nessas Regionais, dá um total de 2.114. Do último dia 15 para o dia 29 de abril observou-se justamente nas SERs I, III e V um aumento de 54,64% nas pessoas atingidas pela doença, ou seja, se antes eram 1.367, hoje esse quantitativo é de 2.114. Enquanto que nas SERs II, IV e VI, que possuem uma população superior, essa variação foi de 26,9%.
Sabe-se hoje que o Aedes aegypti não deposita seus ovos somente em água limpa. O gerente da Célula de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Antônio Lima, diz que quando fala-se em lixo, não podemos nos referir apenas ao encontrado nas ruas, "os focos do mosquito, em sua maioria, estão nas residências, e dentro destas os cidadãos também acumulam lixo, o chamado intradomiciliar".
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-reciclagem/dia-do-gari-2.php
www.saude.gov.br

Fasceíte Plantar


Disciplina : Cinesiologia
Por:
Alexandre Guedes, Bruno Gonçavel,Eriane Damasia, Danielle Cássia, Guilherme, Karine Carlos, Marina Carvalho,
Quando acodar e der os primeiros passos de manhã é sentir uma dor severa no calcanhar, poderão ser sintomas de fasceíte plantar.
O que é fasceíte plantar?
É uma lesão de esforço que afeta a superfície da sola ou do flexor (plantar) do pé. A fasceíte plantar significa inflamação da faixa resistente, fibrosa do tecido (fascia) que liga o osso do calcanhar à base dos dedos do pé.
As probabilidades de sofrer esta lesão aumentam se for mulher, se sofrer de excesso de peso ou se trabalhar num sitio com superfícies duras ou que requeira caminhar muito. Também pertence ao grupo de risco quem corre ou caminhe como forma de exercício As pessoas com pés planos (popular pé chato) ou cavos também são mais suscetíveis de desenvolver fasceíte plantar. A lesão começa com uma dor suave e gradual no osso do calcanhar descrita freqüentemente como a uma "picada de agulha". É mais provável que a sinta após (não durante) o exercício. Se não tratar a fasceíte plantar, pode transformar-se numa lesão crônica. Não se pode poder prosseguir a atividade (d)esportiva, sob pena de também desenvolver lesões no pé, joelho, ancas e problemas de coluna por causa da fasceíte plantar porque esta normalmente provoca uma má postura.
O esporão do calcâneo faz parte do quadro de Fasceíte Plantar e se caracteriza por um crescimento ósseo no calcâneo, mas é importante salientar que o esporão não ocorre na fascia plantar e sim no músculo flexor curto dos dedos, o qual é adjacente à fascia. Apenas 50% das pessoas com fasceíte tem esporão e 10% das pessoas sem dor no calcâneo também tem esporão, assim, via de regra, não há indicação de ressecção cirúrgica do esporão.
Observação:Nem toda a dor no calcâneo é Fasceíte Plantar, portanto, principalmente os pacientes que não apresentam benefícios com o tratamento, devem ser avaliados para outras causas em potencial como, por exemplo, túnel tarsal, tendinite insercional do Aquiles e atrofia da gordura plantar do calcâneo.
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.
http://www.calcadodesportivo.com/footpain/dornospes/fasceite_plantar.htm

Resenha sobre o tabagismo

Disciplina: Metodologia


Por: Bonarotte Montellano, Carolina Araújo, Jéssica Gonçalves, Juliana Herculana, Nágila Aparecida, Nayara de Avelar, Nayara Rafaela, Roberta Gonçalves


O tabagismo é a principal causa prevenível de morte no mundo. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mostram que o tabaco foi responsável por mais de 100 milhões de óbitos no século XX e a tendência é de que no século XXI esta ocorrência será equivalente à um bilhão em todo mundo.

No Brasil o número de óbitos ocasionados pelo tabaco foram de 13,64% , ou seja, tivemos 24.222 perdas devido a esse temeroso vício.

Os dados demográficos dos pacientes foram avaliados de acordo com: idade, grau de escolaridade, gênero e estado civil.

E uma descoberta principal foi a contradição entre o reconhecimento do tabagismo como dependência e o reconhecimento da dependência como doença. Pois, dificilmente os viciados em tabaco admitem sua subordinação ao vício, dificultando assim uma possível ajuda tanto psicológica quanto social, que é a parte relacionada a sua vida e o meio em que vive.

Enfim, em muitos pacientes internados a maioria dos diagnósticos estão relacionados ao tabaco, pelo paciente fazer uso de tal ou por ser passivo. Apesar de tantas campanhas, mesmo assim as pessoas fingem não enxergar.


Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-37132010000200010&tlng=pt