segunda-feira, 31 de maio de 2010

DE QUE FORMA A “BRINCADEIRA DA AMARELINHA” PODE AJUDAR NO DESENVOLVIMENTO MOTOR E COGNITIVO DE UMA CRIANÇA COM 4/5 ANOS?

Postado pelas alunas : Ana Flávia Mendonça, Riandre Flores, Samantha Oliveira e Maria Flávia.
5º P.

A educação infantil é a etapa escolar que trabalha com crianças de 2 à 6 anos de idade. Nessa fase é importante que a criança seja estimulada a desenvolver suas habilidades intelectuais, mas ligadas ao desenvolvimento emocional e motor. Essa idade pré-escolar é considerada a fase áurea da vida, em termos de psicologia evolutiva, pois é nesse período que o organismo se torna estruturalmente capacitado para o exercício de atividades psicológicas mais complexas como, por exemplo, o uso da linguagem articulada.
Do ponto de vista da teoria psicanalítica, este período da vida abrange dois estágios da evolução psicossexual: o estágio anal, cujas implicações para o processo evolutivo do ser humano são bastante acentuadas, e o estágio fálico, que representa o período em que tipicamente ocorre o chamado complexo de Édipo, um dos esteios da teoria de Freud. Para Erikson (1959), duas qualidades essenciais do eu emergem nessa fase evolutiva: autonomia e iniciativa. A cultura desempenha relevante papel na aquisição dessas qualidades fundamentais. As conquistas realizadas nesse período são de grande importância e determinarão o grau de competência que o indivíduo ordinariamente terá. Segundo a teoria de Piaget, a fase pré-escolar corresponde ao período pré-operacional do desenvolvimento cognitivo. As operações mentais da criança nessa idade se limitam aos significados imediatos do mundo infantil. A primeira fase desse estágio é caracterizada pelo pensamento egocêntrico. Na Segunda fase a criança começa a ampliar o seu mundo cognitivo, o que constitui o chamado pensamento intuitivo.
Já o desenvolvimento motor é um processo contínuo e demorado e, pelo fato das mudanças mais acentuadas ocorrerem nos primeiros anos de vida, existe a tendência em se considerar o estudo do desenvolvimento motor como sendo apenas o estudo da criança. É necessário enfocar a criança, pois, enquanto são necessários cerca de vinte anos para que o organismo se torne maduro, autoridades em desenvolvimento da criança concordam que os primeiros anos de vida, do nascimento aos seis anos, são anos cruciais para o indivíduo (Tani et al.,1988). As experiências que a criança tem durante este período determinarão, por grande extensão, que tipo de adulto a pessoa se tornará (Hottinger apud Tani et al. , 1988). Mas não se pode deixar de lado o fato de que o desenvolvimento é um processo contínuo que ocorre ao longo de toda a vida do ser humano. Para o aspecto motor é importante que as crianças tenham acesso ao espaço aberto da escola, parques e seus brinquedos, pátios cobertos e amplos, onde possam correr, saltar, dançar, subir e descer.
A amarelinha é uma das atividades mais importantes que compõem os planejamentos dessa fase, pois desenvolve a consciência corporal, possibilita o desenvolvimento da coordenação fina e a capacidade de se equilibrar e saltar em um pé só. Além desses, é uma excelente oportunidade para se trabalhar com regras, que deverão ser combinadas antes, com o grupo de participantes.
O jogo consiste em jogar a moeda nos números (sempre respeitando o limite do quadrado) e ir pulando com um ou os dois pés (de acordo com a sequência numérica) até chegar no “céu”. Se a moeda cair no número errado ou ultrapassar o limite do quadrado, a criança passa a sua vez e quando voltar terá que iniciar o jogo novamente. Ao retornar ela deve parar na casa onde a moeda está para pegá-la sem se desequilibrar, de forma que ela fará “ida e volta” para cada número.
A criança vencedora será aquela que conseguir chegar ao “céu” as nove vezes sem que a moeda caia no número errado ou fora do limite do quadrado e sem que ocorra desequilíbrio. Espera-se que através do jogo da amarelinha, a criança melhore seu equilíbrio, seu raciocínio lógico, sua consciência corporal e seu convívio social, aprendendo a trabalhar com regras.
A aplicação deste jogo pode ser uma alternativa de tratamento usado pelo fisioterapeuta, uma vez que, possibilita a aquisição de habilidades fundamentais ao desenvolvimento infantil. E dificuldades como, por exemplo a falta de equilíbrio (dinâmico e/ou estático), falta de coordenação motora (ampla ou fina), paratonias, sincinesias hipo ou hipertonia, entre outros não inviabilizem as trocas com o meio.
Portanto, não se trata de uma fisioterapia tradicional cujos métodos e técnicas corrigem problemas ortopédicos com ajuda de aparelhos, como o ondas curtas ou o ultra-som. Busca-se a implicação do sujeito no seu sintoma. Relaciona-se portanto, com a psicomotricidade por ser uma ciência que apóia a atuação de fisioterapeutas e professores de educação física, ocupando-se do corpo real, simbólico e imaginário do sujeito, corpo este que possui elementos sensório-motores e psico-afetivos, através dos quais o sujeito interage com o meio e, conseqüentemente, se desenvolve.



Referências Bibliográficas:

EDUCADOR BRASIL ESCOLA. [Internet]. Disponível em www.educador.brasilescola.com/orientacoes. Acesso em 08 de Abril de 2010 às 13:47.

PEDAGOGAS [Internet]. Disponível em www.criaturasdaeducacao.blogspot.com. Acesso em 15 de maio de 210 às 13:30. 

BRINCADEIRA E DESENVOLVIMENTO INFANTIL: UM OLHAR SOCIOCULTURAL CONSTRUTIVISTA [Internet]. Disponivel em http://sites.ffclrp.usp.br/paideia/artigos/34/05.htm. Acesso em 18 de maio às 14:02.

O JOGO E AS BRINCADEIRAS COMO FERRAMENTAS DA PSICOMOTRICIDADE [Internet]. Disponível em http://www.artigonal.com. Acesso em 20 de maio às 14:47.


O Budismo associado á fisioterapia
Postado por: Antônio Augusto, Eugênio Araújo, Leandro Cézar, Lucas Stortini e Matheus Mardenn.

O Budismo é uma religião fortemente ligada à doutrina Hinduísta, com cerca de 250 MI a 550 MI de adeptos espalhados pelo mundo, estando em maior parte localizado em países como Sri Lanka, Birmânia, Tailândia, entre outros, possuindo também certa relevância em países europeus, EUA e no Brasil.
Não se sabe ao certo a data de criação do Budismo, pois a história de seu criador Gautama, também chamado de Siddartha que posteriormente foi denominado Buda, é cheia de mistérios e lendas, o que dificulta dizer a data certa de sua criação.
Siddharta viveu por sete anos isolados em uma floresta, onde passou esse longo tempo meditando e se alimentando apenas de poucos grãos de arroz, em um processo Brâmane de mortificação onde o indivíduo fica em jejum por um longo tempo para uma melhor compreensão dos fatos que o cerca, no caso de Siddharta, ele refletiu esse tempo sobre o sofrimento e a morte.
Após esses sete anos Siddharta se convenceu de que as macerações e mortificações impostas ao corpo não conduzem mais a verdade e a salvação do que o seguimento dos prazeres. A perfeição não se nos extremos, mas sim numa “via média”. Atingindo desta maneira o ponto mais alto de conhecimento, tão grandioso foi esse nível que ele passa a ser chamado enfim de Buddah, que significa “o iluminado”.
O ensinamento que Buda contemplou foi que tudo é sofrimento, tudo é ilusão, tudo é passageiro, mas o sofrimento pode ser ultrapassado. Acessível a todos, pois todos somos iguais. Buda refere-se a uma mudança profunda do coração, esvaziando-o de todo desejo e ilusão, e menos a prática de ritos e festas. Hesitando sempre em pregar a palavra de Deus, como o próprio Jesus e Maomé, que vieram anos depois.
O Budismo então pode ser associado a formas de meditações para se livrar de todo o tipo de sofrimento ou ilusão. Muito ligado ao Budismo e Hinduísmo, se encontra a prática da Ioga que pode ser definida como uma tradicional disciplina física e mental do corpo, originada da Índia.
No Brasil, atualmente existem várias linhas de Ioga, das quais podemos destacar Ashtanga Vinyasa Ioga, Bhakti Ioga, Hatha Ioga, Iyengar Ioga, Jñana Ioga, Karma Ioga, Kriya Ioga, Raja Ioga, Raja Vidya Ioga, Siddha Ioga, Tantra Ioga, Kundalini Ioga, entre outros, sendo que cada linha citada exerce um tipo específico de conceituação filosófica e prática.
Os praticantes de Ioga podem passar, dependendo da mente, até doze anos para se tornarem um mestre, essa escala varia da intensidade da pessoa que é definida como: Suave, moderada, ardente e muito ardente. Por exemplo, pessoas com mente firme, cheia de energia cheia de simpatia, que sabem perdoar, verdadeiras, corajosas, cheias de confiança, enfim, são considerados praticantes ardentes.
Na Índia a Ioga é tão importante que foi adotada em presídios, pois contribuem para diminuição da violência, as agressões entre os presos, e também permitiu que os praticantes desenvolvessem um autocontrole de si próprios. Visto dessa maneira que a Ioga pode influenciar no psicológico da pessoa para um desenvolvimento através da meditação.
Atualmente podemos identificar os praticantes de Ioga como quatro tipos:
1. Aquele que busca na Ioga bem-estar, qualidade de vida e manutenção da boa forma e a saúde,
2. Aquele que pratica disciplinada e entusiasticamente, esperando que a técnica opere seus resultados,
3. O que acrescenta à prática “algo” de espiritualidade e uma genuína curiosidade pelo autoconhecimento,
4. O praticante definitivamente comprometido com o objetivo final, moksha, e o discipulado necessário para alcançá-lo, desde dentro de um sampradaya, ou linhagem tradicional.
Na fisioterapia podemos utilizar a Ioga como um coadjuvante na recuperação de alguns pacientes não só com problemas psicológicos, como também em trabalhos físicos, sendo alinhamento, alongamento, flexibilidade, melhora na maneira de locomoção, atividades do dia-a-dia, fortalecimento ou emagrecimento, pois a grande maioria das técnicas de hoje da Ioga estão centradas quase exclusivamente no trabalho corporal do indivíduo. Podemos também associar a Ioga a alguma atividade física como musculação, exercícios aeróbicos que estimulem o sistema cardiovascular, enfim, lembrando que nem todas essas técnicas apresentam um mesmo patamar de resultado.
Estudos feitos nos EUA apontam que pacientes portadores de dores crônicas apresentam uma melhora significativa e necessitam de menos remédios analgésicos à medida que praticam com regularidade e freqüência atividades como a Ioga, alongamento, RPG e meditação. Por liberarem endorfinas, todas elas são um interessante complemento aos tratamentos fisioterápicos.
A Ioga pode ser utilizada também em fisioterapia respiratória que corresponde ao modo como você respira, pois se não for feita de forma adequada pode ser sinal de uma mente contínua vagueando distraída.
Por fim, pode ser usada também para tratamento de posturas em pacientes com lombalgias, através a linha Hatha Ioga que ajuda na forma em que vivemos no corpo, e na relação que estabelecemos com ele. Além disso, as posturas praticadas na Ioga alinham as vértebras, fortalecem músculos do tronco, braços e pernas, garantindo assim um equilíbrio homogêneo.

Referências:

SAMUEL, Albert. Budismo. In: As religiões hoje. São Paulo, 1997, PP.110-132.

SANTIDRIAN, Pedro. Budismo. In: Dicionário básico das religiões. Aparecida-SP, 1996, PP.79-87. Editora Santuário.

Maçonaria

Postado por: Isabela Caroline, Kássia Silva, Luana Fernandes, Marina Brant, Melissa Cássia
5° Período

O nome Maçonaria vem do francês "Maçonnerie", que significa uma construção qualquer, feita por um pedreiro, o "maçon". É uma intuitos filantropicos, humanitarios e progressistas. Quer enobrecer a sociedade, orientando-a para um ideal de luz,verdade e de progresso. Praticam-se nelas todas as virtudes. É uma instituição sublime,santa e sagrada, a perpetua iniciadora de tudo quanto se faz de bom,de belo e sublime.Pretende elevar-se acima das ideias de partido, de nacionalidade e de religiao.Todos os seus adeptos sao iguais e irmaos.

É uma instituição filosofica, filantropica, educativa e progressista.É composta por homen varaos. Como muitos pensam, a maçonaria nao é uma instuição secreta, pois é possivel saber datas, horarios e locais de reunioes.

Seus principios sao a liberdade dos indivíduos e dos grupos humanos, sejam eles instituições, raças ou nações; a igualdade de direitos e obrigações dos seres e grupos sem distinguir a religião, raça ou nacionalidade; a fraternidade de todos os homens, já que somos todos filhos do mesmo Criador e, portanto, irmãos.

Tem como seu objetivo maior a pratica de virtudes e a caridade, confortarem os infelizes, não voltar às costas à miséria, restaurar a paz de espírito e a paz dos desamparados e dar novas esperanças aos aflitos.

E ai entra o enlace da maçonaria com a fisioterapia. Com ações beneficentes, a maçonaria é uma grande aliada em varias clinicas, hospitais, asilos, fornecendo aparelhos fisioterápicos. Um apoio de grande importância no tratamento do paciente, que não teria recurso pra tal.



http://www.olhovivorondonia.com.br/noticias.php?news=15107

DOENÇAS ISQUÊMICAS CARDÍACAS


Postado pelas alunas : Ana Flávia Mendonça, Riandre Flores, Samantha Oliveira e Maria Flávia.
5º P.

As doenças isquêmicas cardíacas são as principais causas de morte em países industrializados, se tornando, portanto um problema de saúde pública de primeira grandeza. Segundo o DATASUS, em 1996 houveram 55.900 óbitos/residência por infarto agudo do miocárdio.  É mais comum em homens do que em mulheres e as explicações para essa incidência se relacionam a aspectos biológicos, culturais e de estilo de vida.
A explicação biológica é que a mulher tem uma proteção, o estrógeno, que tem influência direta no sistema circulatório, promovendo vasodilatação e inibindo a progressão de processos ateroscleróticos evitando, assim, processos isquêmicos. A explicação cultural está relacionada à história familiar, idade, sexo. Já quanto ao estilo de vida, relaciona-se à hábitos diários e à falta de assistência no tratamento de doenças que são fatores de risco, como: tabagismo, excesso de bebidas alcoólicas e cafeína, sedentarismo, estresse, dieta rica em colesterol e gordura saturada, hipertensão arterial, obesidade, triglicérides, diabetes mellitus, hiperglicemia, LDL-colesterol elevado e HDL-colesterol baixo.
As artérias coronárias são as estruturas que fornecem oxigênio e nutrientes necessários para o funcionamento adequado e saudável do músculo cardíaco. O estreitamento destes vasos sangüíneos gera queda na oferta de oxigênio evoluindo para um quadro de isquemia. Esse desequilíbrio entre a oferta e a demanda de oxigênio, pode gerar dois quadros, a Angina e posteriormente o Infarto.
A Angina Pectoris ou angina do peito é caracterizada pelo déficit de oxigenação miocárdica, onde ocorre dor, pressão ou queimação na porção retroesternal podendo sofrer irradiação para o membro superior esquerdo, pescoço, mandíbula e costas. É um quadro clínico que demonstra melhora quando o indivíduo se mantém em repouso, porém se não for tratada, a angina pode evoluir para o infarto agudo do miocárdio. Este, por sua vez, ocorre quando uma artéria coronariana está contraída ou obstruída, parcialmente ou totalmente, fazendo com que o suprimento de sangue a uma parte do músculo cardíaco seja reduzido ou cortado totalmente, podendo levar à necrose miocárdica, morte súbita, morte tardia ou insuficiência cardíaca. Essa falta de suprimento de sangue também pode acontecer em vasos comprometidos pela aterosclerose que é uma doença inflamatória crônica na qual ocorre a formação de ateromas dentro dos vasos sanguíneos. Os ateromas são placas, compostas especialmente por lípidostecido fibroso, que se formam na parede dos vasos. Levam progressivamente à diminuição dentro dos e do diâmetro do vaso, podendo chegar à obstrução total do mesmo.

Os sintomas do infarto agudo do miocárdio são os mesmos da angina, mas são mais intensos. A dor retroesternal é superior a 30 minutos não melhorando com nitratos ou posicionamento. Em idosos a dor pode ser menos intensa, mas acompanhada de fraqueza, sudorese, síncope, náusea e vômito. A dor só acaba quando o fluxo sanguíneo é restaurado.
Se alguma parte do coração necrosar, por ocasião de um infarto, ela não é mais viável e não produzirá sintomas como dor. Então, enquanto o doente sentir dor resta tecido cardíaco viável que pode se recuperar por si ou com tratamentos adequados. Quanto antes esse tecido doente for tratado, maiores as chances de ser recuperado.

O infarto agudo do miocárdio pode ocorrer de forma silenciosa, onde não há relato de dor, e por isso o diagnóstico é feito apenas na fase aguda da doença, quando o paciente queixa-se estar desconfortável, ansioso e, com taquicardia.
O diagnóstico de doença isquêmica cardíaca será feito primeiramente através da anamnese e do exame clínico, onde deveram ser analisados sinais como fácies de angústia, ansiedade, agitação, palidez cutânea, taquisfigma, pulso irregular, febre, hipotensão, dispnéia, taquicardia, etc. No segundo momento, pede-se o eletrocardiograma em repouso e sob um teste de esforço. Se for confirmada a suspeita, é feito um cateterismo para analisar as artérias, cavidades e válvulas cardíacas. E, se necessário, outros exames poderão ser feitos como o ecodopplercardiograma e a angiotomografia.
O tratamento clínico é indicado nos seguintes casos: obstrução de somente uma artéria; obstruções menos severas; pacientes que não tenham crises de angina muito freqüentes; pacientes que foram internados em crise e que responderam bem ao tratamento e repouso realizado durante a internação. Caso o paciente esteja em um quadro mais grave, principalmente com quadro obstrutivo da artéria coronária esquerda principal ou obstruções múltiplas, é feita a angioplastia ou, a cirurgia de revascularização.
Assim como no cateterismo, um cateter é introduzido pela coronária até o local onde está a obstrução. No local estreitado, um pequeno balão é insuflado às vezes deixando um stent (pequena mola de metal) e a parte estreitada é dilatada. Depois retira-se o balão e avalia se o fluxo do sangue restabeleceu parcial ou totalmente. Já a cirurgia de revascularização (bypass) usa uma veia da perna ou uma artéria do peito para fazer uma união da aorta até um ponto além daquele em que a coronária está obstruída, a fim de permitir uma passagem do sangue. Pode ser uma medida de urgência quando acontecem acidentes durante a angioplastia. Outra indicação da colocação de pontes é a de quando os pacientes não melhoram com o tratamento clínico. A cirurgia de bypass coronário oferece uma boa oferta de sangue para as regiões anteriormente mal perfundidas.
De um modo geral a angioplastia é mais recomendada por ser menos invasiva do que a cirurgia, a hospitalização é mais breve, tem menor custo, permite um retorno precoce às atividades.
“A avaliação de risco cardiovascular deve ser iniciar aos 20 anos de idade”. Isto é o que prega a American Heart Association em suas novas "Diretrizes para a Prevenção Primária de Doenças Cardiovasculares e Acidente Vascular Cerebral: atualização de 2002", divulgadas através da revista Circulation, no dia 16 de junho de 2002. Além disso, também deve fazer parte da prevenção, realização de exercícios físicos regularmente, interromper o uso do tabaco, alimentação balanceada, ingestão de bebidas alcoólicas de forma moderada, manter um peso corporal equilibrado, realizar exames periódicos e ter bom convívio social com familiares e amigos.
A fisioterapia é importante na prevenção de complicações pulmonares e nas alterações mecânicas e funcionais do sistema respiratório, de pacientes cirúrgicos e clínicos. A fisioterapia na UTI também constitui um recurso terapêutico eficiente para tratamento e manejo dos pacientes submetidos à ventilação mecânica. Com isso, pretende-se reduzir o tempo de estadia nas UTI’s e internação hospitalar, evitar as complicações provenientes da restrição prolongada no leito, prevenir e tratar as complicações respiratórias e motoras em pós operatórios, dar apoio emocional, promover uma readaptação do paciente frente às incapacitações apresentadas a sua nova vida e proporcionar ao paciente o restabelecimento da saúde nas melhores condições possíveis para alta hospitalar.


REFERÊNCIAS 
Leia os Artigos completos:
Outros sites interessantes sobre o tema:



Vídeos interessantes sobre o tema:
Uma doença silenciosa que atinge 30 milhões de brasileiros – Publicado pelo Jornal Hoje da Emissora Globo em  24 de Abril de 2010. 
Lei antifumo pode diminuir infartos – Publicado pelo Jornal Nacional da Emissora Globo em 08 de Agosto de 2009.

domingo, 30 de maio de 2010

Psicomotricidade - Jogo Troca-Troca em Cores

Postado por: Isabela Caroline, Kássia Silva, Luana Fernandes, Marina Brant, Melissa Cássia, Miriã Pereira

O jogo troca-troca em cores é um jogo interativo indicado crianças na faixa etária de 8 a 10 anos.
Objetivo: Estimular simultaneamente o desenvolvimento motor e psicológico das crianças em uma brincadeira divertida e inteligente, como por exemplo aperfeiçoamento da

agilidade, percepção de espaço, concentração, atenção, raciocínio cultural e disciplinar, alem da coletividade e espírito esportivo de saber lidar com vitórias e derrotas.



Materiais do jogo: Onze círculos de cores diferentes que funcionam como tapetes, onze fichas com as respectivas cores dos círculos dispostas dentro de um saquinho e trinta perguntas sobre conhecimentos gerais dispostas em uma caixa.


Regras do jogo e desenvolvimento:

Um jogo coletivo onde brincam de 3 a 12 crianças e possui um coordenador.

O jogo deve ser realizado em um espaço aberto e arejado, como por exemplo, uma quadra ou um pátio, onde se pode colocar os tapetes distribuídos formando um circulo grande mantendo uma distancia de 30 cm entre um tapete e outro.

O jogo: distribuídos os tapetes cada criança escolhe um tapete e sobe em cima do mesmo. Uma criança ficará sem circulo então esta se posiciona no centro do grande circulo. O coordenador da brincadeira em um momento da o comando “troca-troca colorido” onde as crianças deveram sair do tapete no qual estão e procurar outro tapete vazio para subir, porem é proibido ir para o tapete do lado, a direita ou a esquerda.

Uma das crianças novamente ficara sem tapete então esta terá o direito de sortear do saquinho uma ficha com uma cor. Sorteada a cor, a criança que estiver em cima do tapete desta cor deverá sortear uma pergunta que estará no outro saquinho com o coordenador, e responde-la. Se a criança acertar a resposta, esta continua na brincadeira e a que já estava sem tapete fica fora da brincadeira, porem, se a criança errar a resposta esta deverá sair da brincadeira e a outra criança que estava fora de um tapete ocupará o lugar da mesma, finalizando a primeira rodada.

Para cada rodada tira-se do circulo o tapete que foi sorteado pra pergunta e continua a brincadeira novamente com o comando do coordenador “troca-troca colorido”. E assim sucessivamente.

Quando restarem apenas três crianças deverá se sortear uma ficha de cor, a criança do tapete responde a pergunta e assim decidem-se as duas crianças que ficaram pra final. A final será feita da seguinte forma, com a presença de dois tapetes, um para cada criança faz-se o sorteio de uma ficha colorida, a criança do tapete escolhido seleciona uma pergunta do saquinho e responde, se acertar esta marca um ponto. Em seguida a criança do outro tapete também seleciona uma pergunta e responde, acertando marca um ponto e errando a outra criança marcará mais um ponto, somando dois pontos e se consagrando a vencedora mas, se houver empate com um ponto para cada criança deve-se sortear mais uma pergunta para a criança do tapete que havia sido sorteado e esta respondendo corretamente vence e se errar a outra criança é vencedora, ou seja, será feita uma melhor de três perguntas para se conhecer o vencedor da brincadeira.




sábado, 29 de maio de 2010

O hinduismo e o método de massagens tradicionais indianas (mukti) e terapia ayurvédica aplicada a fisioterapia


Ana Luisa Silva Pereira, Claúdia de Sousa Morais, Isabella Lorrayne Ataíde
Rafaella Fonseca Mesquita, Stephany Borges Martins
5° período


A massagem terapêutica indiana, denominada Mukti, oriunda da medicina ayurvédica, é um tratamento corporal onde ocorre a estimulação do pontos marma (Sete Dathus – tecidos do corpo), nutrindo o organismo através da utilização de óleos para uma melhor circulação sanguínea e linfática.

Reconhecida pela OMS (Organização Mundial de saúde) a Mukti ayurvédica é utilizada por quase toda população da Índia e está sendo amplamente divulgada no mundo.

As massagens são muito praticadas na Índia moderna desde o nascimento até a morte, trazendo benefícios não apenas para o terapeuta, mas também para o paciente.

A partir da Mukti na Ayurveda, energias são desbloqueadas e passam a fluir naturalmente pelos canais naturais do corpo todo: físico, emocional e mental. A ayurvédica é indicada ainda para vários casos, tais como: dores musculares, enxaquecas, dores reumáticas, problemas de coluna, má postura, fortalecimento do sistema imunológico, stress, depressões, síndrome do pânico, etc.

Como resultado dos tratamentos ayurvédicos, muitas pessoas relatam que seus olhos passaram a ter mais brilho, sua pele ficou mais limpa, mais luminosa, enfim, que uma nova luz passou a brilhar em todo o seu ser.

Isto, já trás grandes benefícios para o paciente, mas as massagens indianas podem também aliviar dores de cabeça, cansaço nos olhos, dores provocadas por tensão, combate ao estresse, ansiedade e depressão; além de promover a liberação de endorfina (hormônio do bom-humor).

Segundo os hindus, as massagens resguardam o organismo da deteriorização, purificando a energia do corpo e removendo as toxinas, rejuvenescendo-o. Permite o realinhamento do Prana, reavivando a energia dos Chakras, conduzindo a um equilíbrio físico, emocional, mental, psíquico e espiritual.

Através de toques profundos com as mãos, cotovelos e pés, a massagem terapêutica indiana, propicia um realinhamento postural, alívio de tensões (por vezes crônica) no corpo físico, fortalece o sistema imonológico, e tem efeitos anti-stress e anti-depressivos.

A terapia ayurvédica age nos sistemas: linfático (desintoxicando o organismo), circulatório (aumentando a produção de glóbulos brancos e a nutrição e oxigenação celular) e energético (reequilibrando o chakra e atuando nos sete corpos - desfazendo bloqueios emocionais). Dessa forma contribuindo na cura das principais doenças.

É importante ressaltar que, para a Mukti ser ayurvédica, deve levar em consideração os doshasdo paciente, seus desequilíbrios e suas características.

É uma prática individualizada, específica para cada tipo de pessoa. Não existe apenas uma técnica de Mukti na Ayurveda, mas sim diversas delas, que são feitas com óleos medicados, de acordo com o dosha do indivíduo.

Fortalece o sistema imunológico aumentando a quantidade de glóbulos brancos e desentoxica o organismo.

É indicada como um dos tratamentos para quase todas as doenças, principalmente: dependencia química, alergias,fadiga, estafa, depressão, fibromialgia, bloqueios emocionais, problemas musculares e de coluna, lembrando que na Ayurveda não se trata a enfermidade, mas sim o indivíduo. Deve ser ministrada com cuidado em gestantes.

É um poderoso sistema de tratamento para harmonização, balanceamento e vitalização do ser, além de ter uma atuação específica em problemas crônicos e agudos localizados em diversas áreas do corpo, sempre de uma forma natural e consciente.

Para a fisioterapia, as massagens indianas são conhecidas como uma terapia complementar de grande importância, uma vez que consistem em técnicas profundas, associadas a tração e alongamentos, auxiliando em uma postura adequada, promovendo a manutenção da saúde.

Contando com alguns alongamentos, proporciona uma maior flexibilidade do corpo e mobilidade nas articulações, possibilitando o circuito livre da energia vital Tem efeito terapêutico também a nível dos corpos emocional, mental e espiritual. As emoções, conceitos, crenças e experiências vivenciadas e contraídas no corpo, são "tocadas" e liberadas, propiciando um profundo processo de auto conhecimento e transformação interna e externa, a partir da consciência corporal.


Bibiografia:


WILGES, Irineu. Cultura religiosa: as religiões no mundo. 12. ed. Petrópolis: Vozes, 2001

Religious Life. Religions of India. Global Peace Works. Acesso em: 06 maio de 2010.


NARAYANAN, Vasudha. Hinduísmo. In: COOGAN, M.D. (Coord.). Religiões: história, tradições e fundamentos das principais crenças religiosas. Tradução de Graça Salles. São Paulo: Publifolha, 2007


Fonte:

Tereza Cristina Lordello - 13.3238.0444
Centro Integrado de Yoga, Meditação e Ayurveda
ABRA - Associação Brasileira de Ayurveda

Slide 7

sexta-feira, 28 de maio de 2010

O Islamismo




O islamismo foi fundado no ano de 622, na região da Arábia, atual Arábia Saudita. Seu fundador, o profeta Maomé, reuniu a base da fé islâmica num conjunto de versos conhecido como Corão.
Maomé nasceu em Meca, no ano de 570. Órfão de pai e mãe foi criado pelo tio, membro da tribo dos coraixitas. De acordo com historiadores, tornou-se conhecido pela sabedoria e compreensão, tanto que servia de mediador em disputas tribais. Adepto da meditação, ele realizava um retiro quando afirmou ter recebido a primeira revelação de Deus através do anjo Gabriel. Na época, ele tinha 40 anos. As revelações prosseguiram pelos 23 anos restantes da vida do profeta.
A base da fé islâmica é o cumprimento dos desejos de Deus, que é único e incomparável. A própria palavra Islã quer dizer "rendição", ou "submissão". Assim, o seguidor da religião islâmica deve obedecer às escrituras, orar e glorificar apenas seu Deus e ser fiel à mensagem que Maomé trouxe.
O seguidor do islamismo tem como algumas de suas obrigações "promover o bem e reprimir o mal", evitar a usúria e o jogo e não consumir o álcool e a carne de porco.
Os muçulmanos acreditam no dia do juízo final e na vida após a morte, quando o praticante da religião recebe sua recompensa ou sua punição pelo que fez na Terra. Acreditam também na unidade da "nação" do Islã - uma crença simbolizada pela gigantesca peregrinação anual a Meca, que reune muçulmanos do mundo todo, lado a lado.
Os cinco pilares do islamismo formam a estrutura de vida do seguidor da religião. São eles: Pronunciar a declaração de fé intitulada chahada, Realizar as cinco orações obrigatórias durante cada dia, no ritual chamado salat, Fazer o que puder para ajudar quem precisa, no chamado zakat, Jejuar durante o mês sagrado do Ramadã, todos os anos, Realizar a peregrinação a Meca, o haj.
O corão livro sagrado dos muçulmanos reúne todas as revelações de Deus feitas ao profeta Maomé através do anjo Gabriel. No Corão estão instruções para a crença e a conduta do seguidor da religião - não fala apenas de fé, mas também de aspectos sociais e políticos. Dividido em 114 "suratas" (capítuolos), com vários versículos cada o número varia de 3 a 286 versículos. O complemento para sua leitura é a Sunna, coletânea de registros de discursos do profeta Maomé, geralmente em linguagem mais clara e fluente.
Os muçulmanos estão divididos entre sunitas, o grupo e xiitas.
Há vários pontos polêmicos como: homem bomba,o uso do hijab (véu) para as mulheres,circuncisão feminina,poligamia masculina,e vários outros.
A fé representa a expressão de uma aproximação abrangente entre o conhecimento ilimitado de Deus e a capacidade do cérebro humano. Este capaz de aperceber-se desta ciência divina e a sua assimilação, representação e transformação em um ato verificável e um comportamento.
Medicina islâmica: Não é nada mais que o conjunto dos conhecimentos e meios de toda ordem postas para a prevenção, cura, ou abrandamento das doenças. Sendo estas de dois tipos: Doença do Ø kalb (coração (não o órgão coração))
e doença do badan (corpo). As do corpo e as do Ø kalb; incluindo estas, também, toda a sorte de doenças sociais. Todas passíveis de cura mediante a islamizarão.
Referências:veja.abril.com.br/...exclusivo/iluminismo/index.html;

http://www.sbmrj.org.br/Ciencia-milenio.htm;
PT.wikipedia.org/wiki/islão;
wwogalileo.com.br/.../PR-presidente-da-assembleia-na-pb-seconverte-ao-islamismo

O JUDAÍSMO

Postado por: Bruna Letícia, Camila Morais, Letícia Tasca e Rafaela Aguiar



O começo do judaísmo como uma religião estruturada, acontece com a transformação dos judeus em um povo influente através de reis como Saúl, Davi e Salomão, que construiu o primeiro templo em Jerusalém. Mas em cerca de 920 a.C. o reino de Israel se dissolve, e os judeus começam a se dividir em grupos. Vários judeus foram enviados para a Babilônia. Apesar de alguns serem autorizados a retornar a casa, muitos permaneceram no exílio formando aí a primeira Diáspora, que significa “viver afastado de Israel".

O judaísmo é considerado a primeira religião monoteísta a aparecer na história. Tem como crença principal a existência de apenas um Deus, o criador de tudo. Para os judeus, Deus é transcendental, está acima de qualquer coisa, é atemporal, sempre existiu e sempre vai existir, é onipresente e onipotente, justo e também misericordioso.

Esse povo faz várias festas e essas festividades judaicas, que se originaram na Antigüidade, são intensamente guardadas em Israel. No judaísmo, os dias sagrados iniciam-se com o Rosh Ha-Shaná, que é também o começo do ano judaico. O Yom Kippur é o dia do perdão comemorado oito dias após o Rosh Ha-Shaná. Nesse dia os judeus devem ficar em jejum absoluto para se purificarem. Cinco dias depois se inicia Sukkoth, descrita na Bíblia como "Festa dos Tabernáculos", melhor conhecida como festa das tendas. Outra festividade é o Purim que comemora a salvação do povo judeu, ameaçado de extermínio, decretado por Haman, principal ministro do Rei Xerxes, da Pérsia.

Na primavera, festeja-se a páscoa judaica, o Pessach, na qual os judeus comemoram o Êxodo e a libertação da escravidão. Além disso, menos de uma semana após esta festa, ocorre o Yom Hashoá Vehagevurá (Dia da Recordação dos Mártires e Heróis do Holocausto) que é marcado por cerimônias públicas. Já no dia seguinte é o Yom Haatzmaut (Dia da Independência), o aniversário da Proclamação do Estabelecimento do Estado de Israel, em 14 de maio de 1948. Shavuot é a terceira festa de peregrinação, caindo sete semanas depois de Pessach, no final da colheita da cevada e início da colheita do trigo.Essa festa comemora a data em que Deus, por intermédio de Moisés, deu ao povo libertado do Egito os Dez Mandamentos.

Outro marca do povo judeu é Berit milá (circuncisão) realizada em crianças do sexo masculino logo após o nascimento, em seu oitavo dia de vida. "Berit" significa "pacto” e representa a união do recém nascido com seu povo.Já o casamento judeu deve ser realizado de preferência sob céu aberto, lembrando a bênção de Deus para que a semente de Avraham seja tão numerosa como as estrelas. Por fim, o enterro desse povo ocorre sem que haja cremação, flores e música. Além disso, os homens são enterrados com seu xale de oração.

A Torá ou Pentateuco é o livro sagrado dos judeus, revelado por Deus, e corresponde aos cinco primeiros livros do Antigo Testamento bíblico (os outros dois são Salmos e Profecias). O judaísmo defende um conjunto de doutrinas que o distingue de outras religiões: a crença no Deus criador e a eleição de Israel como povo escolhido para receber a revelação dos mandamentos desse Deus através da Torá. Dentre as particularidades dessa cultura encontram-se o uso de objetos religiosos como o quipá, adorno que cobre a cabeça e significa respeito e submissão ao criador, costumes alimentares e culturais, o uso do hebraico como língua litúrgica e principalmente as festividades q se diferem de todos os outros povos.

Na alimentação, os judeus baseiam em couves, vinhos, especiarias, molhos, cerveja e muito importante, o pão. Vestem-se a rigor para a hora das refeições e comem com rapidez. Os judeus não comem carne de porco, cavalo,camelo, coelho, carangueijo, lagosta e camarão. A música entre os judeus é usada como forma de culto como a vários relatos da Torá ou mesmo em celebraçoes como Bar-Mitzvá e o Teatro assim como cinema judaico, é uma forma de expressão que procura mostrar a vida e a história desse povo.

Existem três tipos de Judaísmo, o Conservador, o Helenístico e o Reformista.O primeiro consiste na idéia de que o desenvolvimento da cultura do seu povo pode ter influências de outras civilizações, mas sem perder suas características próprias. Já o Judaísmo Helenístico refere ao “movimento e cultura dos judeus no mundo de língua grega depois de Alexandre,o Grande e tendia a ser mais universalista. Por fim, o Judaísmo Reformista é um movimento que defende a introdução de novos conceitos e idéias nas práticas judaicas, com o fim de adaptá-las ao momento atual

Os judeus são diferenciados de acordo com a fé e as práticas religiosas, eles podem ser: ortodoxos, “ultra-ortodoxos” e conservadores. Para o povo judeu, Deus “não é semelhante a nada do que existe. Por isso, é proibido construir a imagem dele”.A sinagoga é o local das reuniões religiosas da comunidade judaica. “Nela se conserva a tradição e se participa da oração comunitária”, além disso é nela que se guarda a arca que contém a Torá.

O Rabino não é um sacerdode,esse é um título usado para distinguir aquele que ensina, aquele que tem a autoridade dos doutores da Torá ou aquele apontado pelos líderes religiosos da comunidade. Já a Estrela de Davi, de seis pontas, é o símbolo mais comumente associado ao judaísmo.Os místicos medievais atribuíam poderes mágicos a ela como proteção contra espíritos malignos

O sábado (Shabbat) comemora o descanso de Iahwel (quarto mandamento da Lei). É um período para repouso espiritual e de descanso que teria sido ordenado por Deus. No sábado é proibido trabalhar e os judeus se reúnem na sinagoga para a pregação do rabino.

A Segunda Guerra foi uma guerra em escala global e o Holocausto foi o genocídio de milhões de inocentes nos campos de concentração, onde os judeus foram as principais vítimas, além de ciganos, eslavos, etc.
Com a Segunda Guerra mundial houve o desenvolvimento da fisioterapia como prática reabilitadora das seqüelas físicas, principalmente de pessoas mutiladas. A partir daí a fisioterapia se modernizou e passou a ser uma forma de prevenção de patologias, melhorando a qualidade de vida das pessoas.

REFERÊNCIAS:

http://www.suapesquisa.com/judaismo/


SANTIDRIAN,Pedro.Budismo.In:Dicionário básico das religiões,Aparecida-SP.1996,PP.172-175.Editora Santuário


SAMUEL,Albert.Budismo.In:As religiões hoje.São Paulo,1997,PP.138-176.

terça-feira, 25 de maio de 2010

O ESPIRITISMO


Postado pelas alunas: Ana Flávia Mendonça, Priscila Azevedo, Riandre Flores e Samantha Oliveira
5º P.


     O espiritismo é um conjunto de doutrinas espiritualistas que considera o homem um espírito imortal que alterna experiências nos mundos material e espiritual, com o objetivo de evoluir tanto moral quanto intelectualmente, rumo á Deus através de reencarnações.
   Alan Kardec, pseudônimo Hippolyte Léon, a partir de fenômenos curiosos que lhe chamaram atenção, tais como: ruídos, batidas e movimentos de objetos sem causa conhecida; dedicou profundamente seus estudos, dando origem á Doutrina Espírita, que se fundamenta na existência e unicidade de Deus, na imortalidade do espírito, na defesa da reencarnação, quantas vezes precisa como mecanismo natural de aperfeiçoamento dos espíritos, na comunicação entre os seres mortos e os seres vivos, na ausência de culto á imagens e abnegação da prática do bem, e no incentivo ao respeito para com todas as religiões e opiniões.
A possibilidade de comunicação com os espíritos, casual ou deliberadamente, e da percepção de sua presença, via rituais ou naturalmente, independente da diversidade e da intensidade das manifestações, são atribuições inerentes ao ser humano e aqueles que as possuem, são designados de Médiuns.
Os médiuns se expressam de formas distintas de acordo com a captação das manifestações espirituais percebidas, podendo ser classificados em médiuns: de efeitos físicos, sensitivos ou impressionáveis, audientes, videntes, sonâmbulos, curadores, pneumatógrafos e escreventes. Essa comunicação tem objetivo libertar, aperfeiçoar e aprimorar os espíritos, através de mensagens, sentimentos de aflição e alegria, e avisos por eles enviados aos homens decorrentes de suas vidas terrenas, visando sua aproximação á prática do bem, e, conseqüentemente á Deus.
     Existem espíritos bons e espíritos ruins, sendo assim caracterizados em detrimento das ações, da personalidade, das atitudes e da vida que a matéria, ou seja, o corpo por eles habitado mantinha. Os bons espíritos são aqueles onde há predominância do espírito sobre a matéria e desejo de fazer o bem, qualificando-se em bondade, sabedoria e ciência. Compreendem Deus e o infinito, praticam e desfrutam da felicidade dos bons. São classificados em: espíritos Benevolentes, espíritos Sábios, espíritos da Sabedoria e espíritos Superiores. Mas existem tais espíritos que são cômodos não exercendo nem o bem e nem o mal, sendo, por isso, inferiores; e espíritos que não se satisfazem em fazer o bem, sendo responsáveis e contentando-se com a desconfiança, ignorância, com a tristeza, orgulho e discórdia entre os homens, fazendo com que a matéria se sobressaia ao espírito. O que mais os enfurece e tormenta é ver a felicidade dos bons, são eles: espíritos Imperfeitos, espíritos Impuros, espíritos Levianos, espíritos Pseudo-sábios, espíritos Neutros e espíritos Batedores e Perturbadores.
O relato dos espíritos desencarnados sobre suas vidas e experiências terrenas, manifestado através dos médiuns, reúne-se formando o “código penal da vida futura”, teoria pela qual o Espiritismo se apóia e é confirmado ainda mais fortemente através de leis concebidas por tais manifestações espirituais, são algumas delas: a felicidade perfeita é inerente á perfeição, não há só uma imperfeição da alma que acarrete conseqüências desagradáveis, o bem e o mal que praticamos são resultados das boas e das más qualidades que possuímos, a justiça de Deus sendo infinita, todo o mal e todo o bem são rigorosamente levados em conta e ás penas que o espírito sofre na vida espiritual juntam-se ás da vida corporal.
     O Espiritismo é uma prática religiosa ainda recente, se comparada a outras religiões, que apareceu precisamente para alicerçar o futuro, pois o mundo moderno encontra-se cheio de problemas e de conflitos, que quando acrescidos á falta de fé, de amor ao próximo e á ausência de Deus, colocam a humanidade diante de uma situação de assustadora instabilidade. A luta pela implantação do Reino de Deus, pelo crescimento de uma religião ativa que prega o conhecer sobre os bens que Jesus Cristo realizou, a prática do amor para com os outros irmãos e o desenvolvimento de uma cultura “nova e modificada” visando o conhecimento de cada pessoa sobre si mesma e implantando um mundo mais pacificado e melhor, são atitudes que o Espiritismo, assim como as outras religiões, buscam para quem os segue.




REFERÊNCIAS

ALLAN KARDEC. O Livro dos Espíritos. Primeira Edição. Editora Federação Espírita B. 1860;

CONAN DOYLE. História do Espiritismo. Editora Pensamento. 1995;

ZEUS WANTUIL e FRANCISCO THIESEN. Allan Kardec: O educador e o codificador. Primeira Edição. Editora FEB. 2004;

ALLAN KARDEC. O livro dos Médiuns. Nona Edição. Editora FEB. 2006.

O espiritismo. [Internet]. Sociedade de Educação Espírita Joanna de Ângelis.Disponível em www.portaldoespirito.com.br. Maio de 2001 à maio de 2010. Acesso em 05 de maio de 2010.
 

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Dores recorrentes na infância e adolescência.

Postado por: Bruna Letícia, Camila Moraes, Letícia Tasca, Rafaela Aguiar e Rosane Matos.



Durante a infância e adolescência dores de evolução aguda e crônica podem comprometer a vida das crianças, por isso, é necessária uma atenção profissional a elas, preocupando-se com o período de tempo de evolução da queixa. Existem dores de evolução aguda e dores de evolução crônica, as primeiras são descritas pela família e pela criança, o que não ocorre com as dores crônicas, que podem evoluir para persistentes e recorrentes. A dor persistente é rara em criança por isso a necessidade de investigar uma doença de base.
A dor recorrente em crianças é a causa das visitas em consultórios. Para diagnosticar a dor recorrente considera-se os seguintes critérios: pelo menos três episódios durante um período mínimo de três meses e intensidade suficiente para interferir nas atividades habituais da criança.
As dores mais freqüentes nas crianças e adolescentes são as dores abdominais, cefaléia e dores em membros.
É um grande desafio diagnosticar dores recorrentes nas crianças para a equipe de saúde, pois na maioria das vezes a família está cansada e já percorreu diversos serviços trazendo grande carga de angústia e dúvidas. Assim é necessário que o profissional faça uma avaliação ampla, incluindo aspectos emocionais envolvidos, dificuldades nas relações familiares e sociais, e ainda, a habilidade de enfrentamento de dor e dos fatores que a influenciam. Também é muito importante que a criança crie um vínculo com o profissional visando o seu cuidado integral.
Na anamnese deve-se dar espaço ao paciente e a família. A atitude dos pais durante uma crise de dor é fundamental, por isso, é preciso dar liberdade ao paciente e à família para informarem sobre a dor. Também e fundamental entrevistar a criança individualmente, investigando seus sintomas uma vez que podem comprometer seu estado geral.
No caso de dores recorrentes devem ser pesquisadas as características da dor, temperamento e tipos de respostas aprendidas. O exame físico deve ser completo, mas não se deve repeti-lo de forma exaustiva.
Pra se diagnosticar dor abdominal recorrente – DAR – deve-se ter uma atenção especial no que se refere à relação da dor com alimentação e hábitos intestinais.
As dores recorrentes em membros são mais freqüentes em crianças com 10 anos de idade, com discreto predomínio nas meninas. As dores difusas em membros mais freqüentes são: dor de crescimento, fibromialgia, articular e alterações estruturais. Na abordagem diagnostica de dores recorrentes em membros deve-se seguir a orientação já apresentada para dores recorrentes em geral.
É essencial identificar uma causa para dor para realizar uma abordagem terapêutica. Desta forma, para um tratamento efetivo é necessário a realização de fisioterapia ativa e prática de esportes aquáticos a fim de fortalecer a musculatura periarticular.
A cefaléia recorrente é a queixa mais comum em pediatria e quadros recorrentes desta, geralmente, levam a um comprometimento das atividades habituais. Na abordagem diagnóstica desta dor deve-se ressaltar a importância da medição de pressão arterial e do exame neurológico. O tratamento profilático, nestes casos, é o mais indicado.
Por isso é fundamental o acompanhamento das crianças e adolescentes com dores recorrentes por uma equipe de saúde, realizando um esforço conjunto com a família no intuito de melhorar a qualidade de vida da criança.

Veja o artigo completo: http://www.medicina.ufmg.br/ped/arquivos_disciplinas/MGCII/dores-recorrentes_jped.pdf

Idoso: níveis de coordenação motora sob prática de atividade física generalizada.

Postado por: Isabela Caroline, Kássia Cabral, Luana Fernandes, Marina Brant, Melissa Cássia, Miriã Pereira



A vida humana é marcada, nos seus extremos, por dois fenômenos opostos, a vida e a morte. O ser humano então, passa pela infância, atravessa a mocidade, atinge a maturidade e, finalmente, chega à velhice. Aparecem, então, os primeiros sinais evidentes de usura de todo o organismo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é considerado idoso aquele individuo entre 61e 75 anos de idade.
Com a idade, chegam problemas que vão aumentar em numero e grau com o passar do tempo, entre a diminuição da força muscular e o comprometimento da locomoção, diminui-se também a coordenação motora, tornando as tarefas do cotidiano mais difíceis. As distancias ficam mais longas, as escadas mais difíceis, as ruas mais perigosas de atravessar. O mundo torna-se uma ameaça para o idoso.
Segundo especialistas, como Pikunas, isso se explica pois as capacidades funcionais dependem principalmente do sistema circulatório,que fornece oxigênio, fluidos e nutrição. Conforme a idade avança as paredes dos vasos, artérias, veias e capilares endurecem e se tornam mais estreitas, interferindo na circulação satisfatória do sangue.
O endurecimento dos capilares perturba o suprimento de nutrientes aos vários sistemas e órgãos do corpo, inclusive o sistema nervoso central, começando a atrofia gradual dos músculos e tecidos, diminuindo o vigor, peso e imunidade à infecção de órgãos vitais como o cérebro, os pulmões e o coração.
É observável o declínio nas capacidades físicas devido à crescente diminuição do rendimento motor, que variam de pessoa pra pessoa, conseqüentes das inúmeras alterações do organismo humano no decorrer do processo de envelhecimento. A eficácia da coordenação motora também comprometida, podendo ate mesmo deteriorar-se se não for exercitada. Ai entra a importância e a eficácia de atividade física nessa faixa etária. As pessoas idosas beneficiam-se de uma forma geral, especialmente com exercícios para melhoria da postura, mobilidade e eutonização da musculatura, respiração e resistência, aumento dos reflexos, da coordenação e equilíbrio, dando ênfase na coordenação motora.



Link: http://www.efdeportes.com/efd89/id.htm